sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

O luxo virou lixo!

Deplorável! Assim posso descrever a imagem da praia de Jurerê Internacional na madrugada do dia primeiro. Acho que nem um aterro sanitário, mais conhecido como "lixão", estaria mais sujo, mais nojento e mais fétido. Senti vergonha de estar ali - eu cheguei as seis da manhã apenas para, de frente pro mar, agradecer meu 2008 e pedir um 2009 mais iluminado, como faço todos os anos. Me envergonhei pelas pessoas que fizeram aquilo. Havia garrafas vazias - MILHARES - restos de comida, roupas sujas e rasgadas, sapatos, caixas de isopor, tudo largado em quase toda a extensão da praia. Juro que, por uns instantes, fechei os olhos demoradamente para ver se aquilo desaparecida - me imaginei num pesadelo ambiental indescritível. Vi pessoas "secando" garrafas e copos e jogando ali, de qualquer jeito, para que outros bêbados trôpegos pudessem tropeçar. E ali também ficaram os cacos para que alguém pudesse se cortar. Que cenário de horror!

Me envergonho porque, nessas horas, vejo o quanto é grande a capacidade de alguns "humanos" de se tranformarem, repentinamente, de seres alegres e fraternos pela comemoração da chegada do ano novo, em animais irracionais e selvagens que deixam seus excrementos em qualquer lugar. Ver todo aquele santuário daquele jeito foi muito triste e constrangedor. É claro que toda a sujeira do reveillon foi retirada da praia antes do meio dia - por gente que mal pode curtir a virada do ano porque tinha que trabalhar no dia seguinte e, com certeza, muito mais civilizada do aqueles que provocaram tudo aquilo. Ainda ouvi uma voz bêbada no meio de uma turma dizer: "Larga isso aí (o lixo). Os garis têm de trabalhar mesmo, eles são pagos pra isso com nossos impostos. Se não tiver lixo eles perdem o emprego... hehehe (risadinha bem esnobe)". É óbvio que a frase partiu de uma pós-adolescente, filhina de algum bacana qualquer que acredita já estar na fase "gente". Mal sabe ela que, pela postura, ainda não passa de uma ameba metida a embrião achando que vai crescer um dia. Quem sabe na próxima encarnação, ela e seus coleguinhas de imundice não nasçam como larvas no meio do lixo que outros deixarão pelo caminho.

Segue um videozinho que gravei pra mostrar a atrocidade com a praia.


video

6 comentários

Anônimo disse...

Inacreditável.Na verdade não é não. Sabemos que a grande maioria das pessoas que frequentam essa praia são de classe alta, que infelizmente acreditam que devam ser servidas. Que podem jogar lixo na praia porque existem pessoas para fazer o "serviço sujo". Educação nada tem a ver com classe social. Rita Lisauskas

Anônimo disse...

Nem humanos racionais e nem irracionais.
PORCOS mesmo.
Já teci comentários sobre este assunto em outro blog, jornais e sei lá onde mais.
Como já disse antes: quem "comemora" uma virada de ano emporcalhando o nosso litoral, se propõe ser PORCALHÃO o ano todo. Lamentável.
Uma pena que tenhamos de conviver com "pessoas" tão mal educadas, ou recebê-las como "turistas" sendo que não passam de porcos sujos.
A propósito, como será o ambiente domiciliar aonde vivem? Deve ser chiqueiro, não é?
Desejo a você um ótimo 2009. Abraços.
Renate

Karine Toazza disse...

Oi Amigo,
Que vergonha mesmo aquela praia, meu Deus! Fiquei impressionada...As pessoas precisam de mais humanindade e respeito e olha que estamos muito distante disso acontecer....
Parabéns pelo texto, me emocionou...
beijos

Vini disse...

Realmente a imundice estava enorme, Eu, minha namorada e alguns amigos estávamos participando da festa em Jurerê, em frete ao Taiko.
A exemplo de muitas tendas que estavam ao nosso lado, estavamos guardando todo o "nosso" lixo em várias sacolas plásticas que havíamos levado, mas posso sinalizar a total falta de estrutura para que se possa realizar este tipo de festa na beira da praia, pois as lixeiras tradicionais que normalmente encontramos na areia nem de longe foram suficientes para a demanda, sem falar na falta dos banheiros ecológicos, fazendo com que todas as pessoas fossem procurar lugares escondidos, como matinhos, postes, atrás de carros ..etc ... ...isso tb foi uma vergonha ...total descaso com todos aqueles que não dispõem de R$ 800,00 para pagar de ingresso nas festas organizadas pelos bares famosos a beira de praia mas que mesmo assim foram curtir a virada em Jurerê !!!

Anônimo disse...

Essas pessoas imagino que seja nossos "turistas", porque as pessoas que moram aqui acredito que não fariam isso.. já temos o habito de cuidar da nossa cidade, e temos amor por ela, é simplesmente lamentável

Waléria Leite disse...

Tive o mesmo sentimento que vc qdo estive fazendo matéria do pós revellion em Floripa, mas o pior, foi ver uma moça de vinte e poucos anos, morta na estrada.
Tudo por uma noitada muito louca!!!!
Vida louca...vida bandida!

Postar um comentário