domingo, 4 de outubro de 2009

O acaso não existe

Outro dia eu escrevi aqui no blog sobre coisas que acontecem que não tem nenhuma relação com o acaso (leia aqui). Aliás, eu sempre achei que nada nas nossas vidas acontece por acaso. Por mais que não consigamos entender certos acontecimentos ou nem reparamos que eles serviram para algo mais nobre que uma simples coincidência, acredito que tenham sido obra divina ou de alguma força que está muito além da nossa mediocre sabedoria.

Desta vez a "coincidência" foi num vôo de Porto Velho para São Paulo. Ao reembarcar em outro avião, na conexão em Brasília, meu cinegrafista foi obrigado a mudar de lugar porque estava com a câmera na mão na fila de poltronas da saída de emergência. Um passgeiro que estava sentado logo atrás de nós se ofereceu para a troca e sentaria ao meu lado. Eu estava compenetrado num livro que tinha acabado de comprar e só ouvia a conversa quando olhei para ver o cara que viajaria ao meu lado. Nao acreditei quando vi que era um grande amigo, de 20 anos atrás, que eu não via há mais de um ano. É o tipo de coisa que não acontece sempre. Ele mora em Brasília e vinha para São Paulo para o aniversário da filha. Eu estava do outro lado do país voltando de viagem ultra cansativa. Encontrá-lo no saguão do aeroporto ou até mesmo dentro do avião até seria mais comum. Mas ele pedir para trocar de lugar justamente com meu cinegrafista que ele nem imaginava quem era, foi demais. O mais curioso é que durante a nossa conversa surgiu uma oportunidade de emprego para minha mulher. Poxa, não foi por acaso. E tudo aconteceu no momento em que ela está a procura de um novo trabalho.

Alguma força maior o colocou ali, do meu lado, para que algo de bom acontecesse. Se o emprego pra minha mulher vai dar certo, nem imagino, mas não quero duvidar daquilo que desconheço. Se alguém tem alguma explicação plausível para esse tipo de "coincidência" ou acredita mesmo que tenha sido obra do acaso, dou o braço a torcer.

3 comentários

Ana Lucia Nicolau disse...

realmente, nada acontece por acaso...
abs

amigodcristo disse...

Caro amigo texto facinante,,,!!!
realmente nada é por caso nessa vida, as vezes não nos damos conta disso como o nobre amigo explana,,, as vezes coisas acontece para o bem e outras vezes nos ensinar a viver melhor ....as vezes quando somos inrrepreesiveis.. nessas experiências sempre é bom tirar o que tem de melhor,,, amigo parabéns pelo post...!!
Cheguei até seu blog pela indicação da nossa amiga Rita do dihitt!!!!

Ney disse...

O que é a sorte, senão oportunidade somada à escolha sensata e a repetição disto desenvolve o chamado “sortudo”, ou seja, aquele que treina, que repete a feitura de escolhas certas já que vida é a eterna oferta de oportunidades. O Oscar, agora seu colega, certa vez refutou o slogan: Mão Santa. Ele disse, “mão santa nada. O que faço, é resultado de muito treino”. E ele costumava ficar treinando arremessos sempre que encerravam os coletivos. Ogg, tudo o que a alma humana faz e repete, reforça um registro interno chamado de sanskars (literalmente, memória: onde estão registradas suas crenças, valores, lembranças, talentos, instintos) ou seja, o que nos torna únicos. São os sanskars que intermediam as nossas contas karmicas (lei que faz a mediação das ações, reações e interações humanas entre si e com o mundo). Muito possivelmente, a alma humana “travestida” ali no contexto do avião, como seu amigo (papel), foi alguém que em dado momento, direta ou indiretamente (ação) formou-se um elo de crédito/débito (contas karmicas). Por que nem sempre isto é visível, na visão momentânea? Os sanskars, a alma carrega em si, através de nascimentos/renascimentos – se assistir ao último capítulo de uma novela sem ter acompanhado os anteriores, fico sem entender porque alguns se deram bem e outros nem tanto. É por não crer no processo cíclico que costuma-se direcionar os acontecimentos ao destino ou ao divino. Foi a vontade de Deus alguns dizem. E quando não é algo bom, também é a vontade do Deus Altruísta e Benévolo? Aquele que sempre é bom, não pode fazer o mal (nem sabe o que é o mal). Diante da lei do karma, há sempre dois ingredientes que eliminam o acaso: predestinação (tudo é desencadeado por eventos interligados) e livre arbítrio (em última instância você o último a escolher – por isto o fruto das ações recaem sobre si e não sobre Deus – se tudo fosse vontade Dele). Melhores informações sobre o exposto, sugiro o site http://www.bkwsu.org/brazil/sedes/Regiao_Sudeste/Sao_Paulo/Sao_Paulo e verás que a 10 min da R7 SP, há.
Sucesso

Postar um comentário