sábado, 8 de agosto de 2009

Seja chato com seus filhos sem culpa

Uma jovem de 15 anos, alegre e saudável, morre de repente durante um vôo de volta pra casa, depois de um passeio na Disney. Parece surreal. Os pais que a esperavam no desembarque no aeroporto de Guarulhos, só souberam da morte depois que todos os passageiros do vôo pegaram suas malas e cairam fora. Não houve um pingo de consideração. Nem por parte da empresa aérea, nem por parte da agência de viagens que levou o grupo.

O caso deixa no ar uma série de perguntas sem respostas. Primeiro, porque a estudante teve a premissão de embarque já que as companhias impedem que pessoas doentes voem? Depois, porque a agência que levava o grupo não comunicou o estado de saúde de Jaqueline na hora do check in, o que era obrigatório? Também, porque não comunicou à família que ela passou mal no Panamá e ainda, porque não pediu atendimento médico pra ela naquele momento? Se tudo tivesse acontecido como preve o protocolo da aviação, uma jovem saudável e com uma vida inteira pela frente não teria morrido. Que houve negligência, isso está bastante claro! Mas de quem? Quem podemos culpar por ela não estar aqui, hoje, revendo as fotos da viagem com as amigas e a família?

Muitas vezes acusam a nós, pais, de excesso de preocupação com os filhos, de superproteção. Mas é esse exacerbado controle que pode impedir que algumas tragédias aconteçam. Vou dar um exemplo distante do drama vivido pela família Ruas, mas que ilustra o fato. Um vez sai de casa pra passear com nosso cãozinho de estimação pela garagem do prédio. Não levei a coleira porque achei o local demasiadamente seguro. Spyrro, como se chamava, acabou morrendo atropelado sob as rodas de um incauto morador que não deu o mínimo valor à vida de um animalzinho.

Sei que não podemos trancafiar nossos filhos sob as garras cruéis do controle familiar, mas bancar "os chatos" sempre não vai doer neles como sua perda doerá em nós. Como diziam meus avós: "o seguro morreu de velho". Prefiro ser chato sempre do que não poder ser mais com quem amo.

2 comentários

Paulo disse...

Que decepção com a sua matéria de hoje no Jornal da Record... poderia se passar por um vídeo institucional da IURD< nunca por jornalismo.

dudu disse...

Era o Jornal da Record, ou o Fala que eu te Escuto???? Abraços do povo matogrossense do sul.

Postar um comentário