domingo, 1 de março de 2009

O garanhão do Oscar

Essa semana assisti a um dos grandes premiados do Oscar - o filme O curioso caso de Benjamin Button - e tenho de admitir: Brad Pitt é mesmo um garanhão. Po, o cara é o queridinho de Hollywood há algum tempo, já traçou a Juliet Lewis, Gwyneth Paltrow e Jeniffer Aniston. E pra não baixar o nível de beleza ainda tascou a Angelina Jolie com quem tá até hoje. Agora consegue protagonizar um filme que teve 13 indicações e levou tres estatuetas. E surpreendeu por nascer velho e morrer bebê. Aí você imagina: "Putz, ter rugas e o "negócio" não levantar quando ainda se tem apenas oito anos de idade deve ser uma mer...!". Nana nina não! É o Brad Pitt, gente, e o personagem não pode ser assim! Com cara de faixineiro do Zepellin, mais enrugado que maracujá de gaveta e tão manco quanto mesa de buteco em calçada de paralelepípedo, o garanhão dá canceira numa prostituta logo no comecinho. Claro, é o Brad Pitt! Alguns anos depois, com cara de 80 e poucos, traça a sem-sal mas fogosa Tilda Swinton. Claro, é o Brad Pitt! E de quebra, já com 60 mas rostinho de capa da Capricho, manda bala na Kate Blanchet. Afinal é o Brad Pitt! O cara é ou não é cumpridor? Pelo amor de Deus! Merecia o Oscar de melhor performance sexual do cinema. Nem o Michael Douglas que passou por tratamento para compulsão sexual conseguiu essa proeza em seus filmes.
Bom, deixando de lado o desempenho do galã que até com cara de Matusalem arranca suspiros da platéia feminina, o filme é realmente muito ilustrativo pois comprova que a gente começa a vida de fraldas e termina com elas. Não importa a ordem cronológica!

1 comentário

Renata disse...

Ogg, o ideal é aproveitar a vida enquanto as fraldas não vêm... ou melhor, retornam! Pois pior do que "as coisas não levantatarem" é usar as tão - imagino - desconfortáveis, quentes e absorventes fraldinhas que mais parecem cinto de castidade. Se serve de consolo, pelo menos não é numa fase em que isso seja realmente relevante... rs. Beijos

Postar um comentário