sábado, 2 de maio de 2009

A gripe dos milhões de dólares

A gripe suína está aí, amedrontando populações no México e Estados Unidos. Mas deixa intranquilos também alguns países da América Latina, afinal tudo que é de ruim acaba vindo pra essas bandas. E numa situação dessa a gente não pode deixar de falar em conspirações - as suspeitas que sempre rolam em casos como este. Vamos aos fatos: o mundo inteiro atravessa uma crise complicada. Fábricas de veículos e bancos pedem arrego. Indústrias de todos os setores ficam na corda bamba, inclusive a farmacêutica. De repente surge uma doença do nada. Nós sempre criamos porcos e eles nunca ficaram gripados. Não é estranho que uma pandemia como essa surja exatamente num momento difícil para as indústrias de medicamentos? Pelo pouco que sei, para se testar um medicamento, muitas vezes cobaias são submetidas a virus mortais pra saber se o novo remédio é eficiente. E se alguma dessas cobaias escaparam do laboratório? Pode ser uma tremenda besteira o que estou dizendo, mas quem se lembra da epidemia do Ebola, vai se lembrar também que na época cogitou-se do virus ter sido criado em laboratório, injetado em macacos e a coisa se espalhou sem controle. Será que não teria acontecido a mesma coisa com a gripe suína? Engraçado é que menos de uma semana depois dela ter se espalhado e feito várias vítimas no México, apareceram duas grandes indústrias farmacêuticas (a Roche e a Glaxo) com uma vacina contra o virus. Com isso faturam milhões e milhões de dólares vendendo suas doses até para países que, temerosos, não querem correr riscos mesmo distantes do foco. Essa vacina não saiu rápido demais não? Vamos conspirar um pouco mais! Será que essa vacina já não tava pronta e esse virus ao invés de "surgir" foi "plantado" por aí? Já cansei de ver filmes assim e isso não é impossível de acontecer. Não quero aqui bancar o sabichão, daqui a pouco até eu mesmo talvez ache essa teoria da conspiração uma tremenda besteira. Mas não custa nada jogar uma sementinha para que vocês reflitam. Afinal não é a primeira vez que se fatura em cima da desgraça alheia nesse planeta.

1 comentário

Fredson N. Aguiar disse...

Daí a gripe suína chegou à Fazenda do Manguaço e os próprios bacurins se assustaram.

O chefe do chiqueiro adiantou (visionário que é), que essa gripe, por lá, terá efeito de crise mundial chegando no país – sem força, uma marolinha fácil de enfrentar.



“A Gripe, Segundo um Presidente”


Meu caro presidente, pois chegou
No canto do cercado uma notícia:
Na alfândega, com efeito, a polícia
Deteu, tossindo muito, um senhor.

Disseram que é gripe. E é suína!
E agora? Os que morrem desse vírus
Terminam muito pálidos papiros
Na planta do caixão – morte assinina.

- “Meus caros companheiros, é alarme
Dizer que uma tortilla ´xicaninha
De porco tem sabor de frango ou carne”.

"Afirmo, sabedor que a dor futuca:
Tal gripe será só uma leitoinha
Da qual faremos uma pururuca!"


(Fredson Aguiar - Dir. Jornalismo / Record - Palmas / To)

http://rabodaporca.blogspot.com

Postar um comentário