quarta-feira, 21 de abril de 2010

VIVA O HORÁRIO ELEITORAL NA TV!

"Nossa proposta vai mudar o país. Queremos mais dignidade, mais saúde, mais educação para o povo brasileiro. Precisamos acabar com a corrupção e limpar o congresso dos maus políticos. Nosso partido esta aí pra isso. Na hora de votar escolha gente do PPRTBGD e viva num país melhor".

Pois é, o mesmo lega-lenga de sempre retornou à propaganda eleitoral na TV. Quase todos os partidos tem essa premissa aí de cima como diretriz da campanha. Eles não são nem criativos para fazer algo diferente, afinal esse discurso é o mesmo que a gente vem ouvindo há séculos, o mesmo bla-bla-blá. Quem não conhece o Brasil até acredita que essa cambada vai à televisão falar sério. E o pior é que até eles mesmos acreditam que estão falando sério.

Mas o pior ainda está por vir: a campanha eleitoral que começa em julho e vai ocupar horários preciosos da tv com as maiores asneiras que a gente pode ouvir. Me dá até nojo saber que essa programação tá chegando. Graças ao bom Deus existe TV a cabo e controle remoto.

Fico imaginando que coragem esses políticos tem de ir à televisão pedir voto com toda a bandalheira que acontece na política desse país. "Eu prometo isso, prometo aquilo, vou lutar por isso e por aquilo...". Meus Deus, isso me dá ânsia de vômito! Mais indigesto ainda é ver políticos de carteirinha com processos nas costas e envolvidos em escândalos bradando essas frases.

Ser político hoje não é mais como antigamente. Vejam só: anos, mas muitos anos atrás, o "nobre" deputado entrava num restaurante e vinha aquela horda de garçons pra acompanhá-lo até a mesa, escolhida no melhor lugar da casa. O vinho era sempre cortesia. Não se podia pagar com cheque, mas o deputado podia. E o atendimento era o melhor e mais eficiente. Hoje, jogam o cara numa mesinha lá do fundo, depois dele esperar uma hora na fila. Pagar com cheque, nem pensar. É cartão de débito ou dinheiro com direito a conferencia de falsificação. Não tem mais vinho de cortesia e o atendimento é feito pelo garço mais lento da casa. O nobre depurtado ainda cochicha no ouvido do maitrê, na saída, "Não conta pra ninguém que eu vim aqui, tá? Senão vão investigar minhas contas".

A coisa tá tão decadente pros políticos brasileiros que outro dia, numa briga de rua, um cara chamou o outro de "seu político de Brasília". Noooossa, o cara ficou irado com isso, babava de raiva. Po, também né, chamar um cara de político? Puta ofensa meu!

E agora tá em discussão essa lei da ficha limpa. Aí também já é querer demais, né? Ja pensou em proibir de concorrer nas eleições todo político que tem algum processo nas costas? Vai sobrar muuuuuita cadeira vazia no congresso nacional! E quem a gente vai xingar depois? Quem é que vai receber os milhões de reais que o governo distribui no mensalão? Pra quem as empresas vão pagar propina pra aprovarem projetos? MEU DEUS, VAI SER UM CAOS!

A sorte desse povinho de Brasília, e também das câmaras municipais, assembléias legislativas, prefeituras e governos estaduais, é que o voto no Brasil é obrigatório. Se não fosse, ia ter muita gente entregando curriculo por ai depois das eleições. E ainda mais surpreendente que isso, e que nem é tão surpreendente mais, é que ainda se troca voto por conta de luz, dentadura, cadeira de rodas e saco de feijão. É quase uma volta ao escambo - pelo menos naquela época os políticos eram menos desonestos. Será que isso um dia existiu?

2 comentários

Fábio Fabeni disse...

Excelente texto Ogg. Bla-bla-bla de sempre, sem nada a acrescentar, enganação e corrupção (ativa e passiva!) de sempre. Abraço.

kel disse...

Sensacional Ogg.O texto é simplismente ótimo,esses caras são um bando de abutres,destruindo o que é do povo e continuam no cenário político ,sem punição e vergonha na cara.

Postar um comentário